sábado, 25 de outubro de 2014


Voar ou não voar, eis a questão


Publicado em / /            Comente esse post


A pergunta: Você prefere ser um pássaro acomodado em uma gaiola ou ser um pássaro livre, porém inseguro?

Aqui em casa temos uma maritaca que nunca soubemos a origem, de onde veio, de quem era... Ela simplesmente apareceu aqui. Meu pai a colocou em uma gaiola antiga que tínhamos e deixou semente de girassol e água para que ela não sentisse fome e sede. Logo ela estava toda serelepe e falando um monte de coisa que a gente não entendia. Quando abríamos a portinha da gaiola, ela saía e voltava depois de alguns minutos.

Num certo dia, ela saiu como de costume e num ato de coragem, bateu asas e voou. Voou para os céus. Voou longe até que não a vimos mais. Chateados, ficamos preocupados com os perigos que ela poderia encontrar no caminho.

Passou uma semana e um susto: a maritaca havia voltado pra casa! O que aconteceu?
Nunca iremos saber, porém creio que essa maritaca é uma covarde. Tinha "se libertado" e podia voar para onde quisesse, mas desesperada, achou melhor voltar pro aconchego do nosso lar, onde dentro da gaiola estava protegida e mimada com cafuné, muita semente de girassol e água fresca.

As vezes temos medo de sair de nossas gaiolas douradas e sentir o vento batendo em nossos rostos. Mas quando sentimos que haverá perigos e obstáculos, fazemos que nem o nosso pássaro, e tratamos de achar o caminho de volta pra casa. A natureza nos fez livres e soltos, e assim devemos ser. Ainda estou me acostumando com a ideia de saltar da minha gaiola dourada.

Pedro, o que está treinando um vôo rasante.



0 comentários:

Postar um comentário

Comente, mantenha esse blog vivo!